Contabilidade Ribeiro

Notícias

Contador e a administração financeira

O Contador e a Contabilidade precisam se adequar as novas exigências tributárias

“O Contador e a Contabilidade precisam se adequar as novas exigências tributárias, que exigem transparência e controle interno, pois dantes não tinham essa cultura, principalmente diante de uma CRISE que afeta resultados”(Elenito Elias da Costa)

O Brasil diante dos fatos que assolam a economia está diante de uma realidade atípica, pois a crise Ética que afeta os poderes constituídos, agregados a necessidade de aumentar a arrecadação para melhoria e estabilidade da economia tem deixados empresas e sociedade atônitas.

As reformas instituídas pelo atual governo visam obviamente reduzir o CUSTO na aplicação do CAPITAL, na vã tentativa de estabilizar a Economia, e procura vender o País para reduzir o peso da máquina e reativar a ação progressiva.

Essa idéia representa um ERRO grosseiro de governar, e fatalmente o levará a ruína como estamos presenciando, mas as estrelas dormem em berço esplendido, e o povo não tem conhecimento dessas conseqüências e paga e pagará um preço que eleva exponencialmente resultado de sua inércia.

Não podemos esquecer jamais que: “Cada povo tem o governo que merece”, e ficaremos a lamentar esse fato. A busca de conter os buracos orçamentários a qualquer preço, aprovando reformas inadequadas, vendendo o país a qualquer preço, buscando arrecadar de qualquer forma exaurindo o povo já sofrido, tudo isso, obviamente terá um preço e um dia a conta chegará, de qualquer forma.

A sociedade está sentindo a realidade da CRISE e das reformas aprovadas e em aprovação, que fatalmente agridem os direitos adquiridos e afetam negativamente os agravos sociais, deixando em situação de imprevisibilidade presente e futura.

As empresas de qualquer porte, tamanho e opção tributária em pandemônio diante do seu planejamento estratégico sustentável, e com a exigência do grau de transparência e de controle interno, minimizando alquimias ou sonegações fiscais doutora inserido na gestão empresarial.

É fato que os profissionais envolvidos não estão preparados para o nível de capacitação e qualificação profissionais que a situação exige e que essa ausência de conhecimentos específicos deixa um hiato que acirra o relacionamento entre profissionais e empresas.

Diante desse cenário hilário, o sujeito ativo utilizando a tecnologia da informação através de inteligência artificial tira proveito do sujeito passivo, que em atropelos tenta cumprir os prazos determinados pelas obrigações tributárias.

Após o dia 11/11/2017, onde haverá a validação prática das reformas trabalhistas e demais em vigor, o mercado deve ser analisado e avaliado em toda sua essência.

A mera robotização nos cursos que ensinam o atendimento eletrônico das obrigações tributárias e sociais, não acrescenta em nada socialmente, haja vista a quantidade de recursos inseridos na tecnologia da informação, que não é reconhecido pelos clientes ou mesmo pela sociedade em geral por entenderem que é somente sua obrigação profissional e nada mais.

As empresas devem ter obrigatoriamente um Planejamento Estratégico Sustentável, pois o mundo é seu concorrente, e devem rever suas ações e atitudes para que possam adentrar nesse ambiente, assim como os profissionais que as assessoram diante do cenário mais excludente e diferente.

O CONTADOR que antes atendia os serviços fiscais, de pessoal e de contabilidade sem uma sincronia racional com a gestão empresarial, e sem oferecer um relatório circunstancial e periódico que possa equilatar a sincronia racional da Gestão Empresarial e sua Contabilidade, oferecendo sugestões plausíveis para ajustamento de conduta e foco em resultados positivos.

A fase de cumprir obrigações sociais, tributárias e demais que estão já totalmente informatizadas exigindo um maior grau de transparência e de controle interno, cujas obrigações serão avaliadas pelos órgãos competentes através de uma AUDITORIA DIGITAL, que utilizará essas informações para analisar o cumprimento da legislação e normalidade jurídico fiscal das empresas.

Esse cenário deixa empresas e profissionais atônitos haja vista não estão preparados para esse nível de depuração dessas informações e poderão sofrer o revés de sua inabilidade e inobservância, adentrando em RISCO para ambos.

Devemos entender que o MERCADO precisa de um CONTADOR com capacitação e qualificação adequada as novas exigências desse mercado, e comprovadamente poucos estão preparados para essa exigência, senão vejamos:

  1. P D C A (Plann, Do, Check, Action)
  2. W W W W H (What, Who, Where, When, How Much)
  3. S W O T (Stronger, Weakness, Opportunities, Thirt)
  4. Internal Cost Control (Controle Interno de Custo)
  5. Controle e Análise de Rubricas
  6. D C F – Demonstrações Contábeis e Financeiras
  7. Certidões Negativas de Débitos
  8. Conhecimento atualizado de Legislação
  9. Conhecimento de Inteligência Artificial do Sistema Tributário
  10. Análise Horizontal e Vertical com sua projeção futurística
  11. EBITDA (Earning Before Interest Taxes Depreciation and Amortization)
  12. NOPAT (Net Operating After Taxes)
  13. EVA (Economic Value Added)
  14. MVA (Market Value Added)
  15. F I (Fator de Insolvência)
  16. Relatório de Situação e Diagnóstico Operacional
  17. Relatório de Customização e Precificação
  18. Relatório de Alavancagem Financeira
  19. Relatório de RISCO OPERACIONAL
  20. Relatório do Capital de Giro em confronto com o Passivo
  21. Relatório de Sugestões e Flexibilidade do PDCA
  22. Relatório de Prejuízos e Lucratividade
  23. Relatório de AMEAÇAS de Estratégias Usuais
  24. Relatório de RISCOS TRIBUTÁRIOS
  25. Planilhas e Gráficos que embasam Sugestões
  26. Relatório Gerencial com Foco nos Resultados Consolidados

Entendo que o alfabeto acima consiste na excelência do labor da CONTABILIDADE atual, mas devemos reconhecer que muitos estão se preparando para possibilitar a conceder essa resposta ao Mercado.

Peço desculpas aqueles que possam ser afetados pela descrição do artigo, mas devemos entender que a única constante em nossa vida é a MUDANÇA e devemos sempre nos preparar para esse momento, que pelo desenvolvimento da Economia Globalizada, estamos bem atrasados.

Se observarmos o processo de entrega do Patrimônio Nacional ao Capital Estrangeiro, somos obrigados a reconhecer nossa incompetência para gerir um País com riquezas naturais e terras férteis, mas com uma população totalmente despreparada, é realmente lamentável.

Quiçá possamos acordar e em seguida tenhamos condições de conter essa “entrega” de riquezas, mas devemos reconhecer que sem valores, princípios, personalidade, honra, ética, caráter e uma educação de qualidade internacional, ficamos realmente muito exposto ao Capital Especulativo.

Autor: ELENITO ELIAS DA COSTA, um ser com educação diferenciada.

Últimas Notícias

  • Empresariais
  • Técnicas
  • Estaduais
  • Artigos

Agenda Tributária

Período: Dezembro/2017
D S T Q Q S S
     0102
03040506070809
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Cotação Dólar